Dicas para uma boa saúde mental

Mantenha uma rotina adequada de sono. Privação de sono pode predispor as recaídas em determinadas doenças emocionais; o excesso de sono pode se associar ao agravamento de quadros depressivos.

  • Desenvolva hábitos de alimenta­ção saudável. Estudos recentes têm demonstrado que dietas ricas em gordura animal aumentam o risco não apenas de doenças cardíacas. mas também de depressão. Por outro lado, dietas ricas em peixe, legumes e verduras têm sido associadas a uma redução do risco de desenvolver depressão.
  • Pratique atividade física regular­mente. Diferentes estudos têm demonstrado que a prática de atividade física regular aumenta a formação de novos neurônios (neurogênese) e aumenta a sobrevida dos mesmos, contribuindo para a melhora de doenças emocionais.
  • Aprenda a identificar sinais de recaída. Alterações persistentes do humor, sono, apetite/peso, memória/concentração, perda do interesse, sintomas de ansiedade persistentes. queda na produtividade no trabalho ou no rendi­mento escolar, prejuízo no funcionamento social e pessoal costumam ser importantes indícios de doença emocional. Nestas situações, deve-se procurar um profissional logo que possível.
  • Desenvolva estratégias para lidar com o estresse, já que este é parte integrante da “vida moderna” e é o principal fator desencadeante de doença emocional. Em muitos casos, é indicado iniciar psicoterapia com profissional qualificado quando se identifica um ‘mau gerenciamento do estresse’.
  • Procure se dedicar a atividades que lhe permitam ‘se desligar’ dos problemas e sejam prazerosas. A persistência dos efeitos do estresse é um dos principais preditores de doença emocional, especialmente em pessoas que apresen­tam vulnerabilidade genética (história familiar de doenças emocionais).
  • Ingira bebidas alcoólicas com moderação. A exposição do cérebro ao excesso de álcool está associada a diversos problemas emocio­nais e mesmo a quadros demenciais,que lembram a Doença de Alzheimer.
  • Ingira cafeína (presente no café, chá preto e refrigerantes do tipo ‘cola’ com modera­ção). O excesso de cafeína tem sido associado a um aumento da ansiedade em indivíduos com predis­posição para tal sintomatologia.
  • Evite o uso de drogas ilícitas. O uso de drogas ilícitas (e.g., cocaína, crack. maconha e ecstasy) tem sido associado ao desencadeamento de diversas doenças psiquiátricas, incluindo quadros como transtorno do pânico, psicoses induzidas e esquizofrenia.
  • Converse com o seu médico acerca dos seus problemas de saúde. Quanto maior o conhecimento sobre os mesmos, maiores as chances de tratá-los adequadamente.
  • Siga o seu tratamento correta­mente como orientado pelo médico. O especialista é quem vai lhe trazer as informações mais confiáveis acerca da sua doença e respectivo tratamento.
  • Informe-se através de fontes confiáveis acerca de doenças e tratamentos psiquiátricos. Considerando todas as doenças psiquiátricas, cerca de 1/3 da população será acometida em pelo menos um período da vida. A ignorância e o estigma ainda persistem como importantes fatores que impedem o tratamento adequado de uma boa parcela da população.